sexta-feira, 25 de março de 2016

Sugestão: salada para o almoço da Sexta-Feira Santa!

Pois a Sexta-Feira Santa me faz lembrar uma das especialidades da Vó Léia, e talvez muita gente reconheça como um clássico também de sua família: a salada de atum, batatas, cebolas, ovos duros cortados em quatro partes, azeitonas pretas e um marcado tempero de azeite de oliva, sal e vinagre....A receita era irresistível no sabor, nas texturas, na substância, no vigor do azeite acolhendo os elementos do prato. É uma especialidade freqüente em restaurantes portugueses, com bacalhau ao invés do atum. 

A receita preparada pela Vó era, sem dúvida, concorrência desleal para qualquer prato quente que ousasse fazer as vezes de prato principal; todos os ingredientes eram abraçados pela sedução untuosa do tempero, e era o sabor ou o perfume ou a textura ou o alvoroço de sensações do azeite de oliva, ou tudo junto, que dava o viço da salada...As batatas, cortadas em fatias grossas, eram de uma mordida tenra, enquanto a azeitona dava força ao conjunto...a cebola, escaldada, era disposta em anéis esparsos, e os ovos duros, apresentados em quartos, adornavam e, principalmente, substanciavam o prato. A bem da verdade, não sei explicar por que parecia uma refeição mil estrelas, mas lembro que tinha o conforto de almoço em casa de vó, de prosa longa em volta da mesa, de um cheirinho de comida  d´além mar. 

Bom preparo...e bom proveito!!!
Com carinho, 
Betina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina