quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Criar se aprende...criando!

E então, aqui estamos! Segunda quinzena de janeiro, verão instalado no Hemisfério Sul, dia lindo em Porto Alegre...Pela semana corrida, consegui voltar hoje ao Blog. E venho conversar sobre 'saladinhas', tema propício para a estação.

Abrindo vários capítulos sobre saladas em livros de cozinha, ou mesmo folheando obras só deste campo, penso que o mais importante de nossa conversa não seja que verduras e legumes usar, quais frutas escolher, se este ou aquele ingrediente combinam, e por aí vai...porque há tantas variáveis culinárias e culturais que nos perderíamos na charla. Meu ponto é: o que agrega criatividade nas saladas? Como usar nossa capacidade inventiva: nas combinações? nos adornos? nos temperos? no preparo delicado da mesa? Decidir o que fazer é uma questão de gosto, e o universo de receitas possíveis é tão vasto que não faz sentido dar ideias de 'salada disto' X 'salada daquilo'...O ideal, me parece, é refletirmos sobre os recursos que temos na feira, no supermercado, nas delicatessens, na horta de sacada e na nossa própria despensa: o que podemos criar para dar um toque especial, único, para a receita? Um toque nosso, 'marca registrada'? 

Não é à toa que esta postagem segue aquela sobre o 'olhar estrangeiro' nos mercados da cidade que habitamos, do bairro em que vivemos. Praticar o 'olhar curioso' é um treino diário, muito estimulante! Logo, logo, temos o 'click' de cores combinantes dos alimentos, de cheiros que, juntos, têm sinergia, de texturas crocantes e macias...A partir da observação, aprendemos a ficar atentos a detalhes nos ingredientes, e é este o ponto: a criatividade fica mais intensa, temos um 'vocabulário' maior para usar em nosso idioma culinário. Do mesmo modo, abrir livros de receitas, dos mais antigos aos mais modernos, como uma prática rotineira, nos dá o alicerce de o quê costuma ser combinado com o quê, de quais molhos valem para as saladas, e assim por diante...

Criar é uma delícia, mas não é um ato aleatório: temos um arsenal de ferramentas que vamos adquirindo por nossas vivências de cozinha e, quando menos esperamos, vem o 'plim' que dá uma luxúria aveludada no molho para nossa mais nova salada...Experimentar hipóteses, errar e acertar, arriscar misturas e sabores, treinar o olhar curioso...todos são elementos do aprendizado de um 'idioma' que vamos falar fluentemente, praticando na rotina, nas visitas de amigos, nos finais de semana, nos almoços rápidos na azáfama de um dia corrido. Aprendendo a criar, todo momento é uma possibilidade para nova receita!

Bom proveito!

Em breve, alguns pontos que podem ajudar nas criações...!

Com carinho,
Betina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina