sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Aprendendo Italiano na mercearia...

E falando em aprender idiomas de um modo prazeroso, conto uma passagem peculiar da minha história...Uma das primeiras experiências que tive com o italiano ocorreu em uma mercearia de Roma, em fevereiro de 1997, nas férias daquele ano. Estava na cidade, entre um passeio turístico e outro, com o grupo da excursão, e não haveria jantar naquela noite- coisa de 'cada um por si'...e havia a fome e o cansaço, depois de um dia todo caminhando por cidades vizinhas. E havia a mercearia, em frente ao hotel, com seus pães, salames, queijos, tomates e aromas intensos. Eu não sabia o nome de nada, exceto do 'pane', claro...e percebi, naquela ocasião, uma bela oportunidade para me avizinhar da língua.

Comecei a perguntar ao senhor no balcão, tentanto um dialeto improvisado e com o dedo apontando para as direções... 'O que é isto?', 'e aquilo?', 'qual o nome disto?', 'e aquele ali?'...a cada resposta sua, eu repetia a palavra, para gravar na memória...lembro até hoje: o tal senhor bradou, já impaciente, num som cavernoso e firme, 'Che voglie, Signorina?????????', acabando com minha remota expectativa de aula e apressando meu paladar indeciso. Certo, ele! Não estava ali para me ensinar nada, e, embora não houvesse nenhum cliente atrás de mim na fila, ele não estava ali para perder tempo. Eu, sim. Em férias, todo tempo é válido para uma vivência inusitada, e de fato a mercearia me pareceu um ótimo lugar para começar as bases do Italiano...afinal de contas, haveria lugar mais propício do que entre pães de casca crocante, azeites em vidros altos, queijos fortes e fiambres avermelhados???

Pois foi ali que ensaiei meu caminho pelo idioma. Acho que o italiano sempre terá aquele cheiro, pra mim...!

Agora, sigo nossa prosa sobre as comidinhas de verão!!

Até breve!

Ciao!!!!

Com carinho,
Betina


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina