sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Tartine: a bruschetta dos franceses?

Uma das saborosas diversões da pesquisa de quitutes para o blog é a pluralidade dos resultados. Estou encontrando textos deliciosos nos autores clássicos, como Irma Rombauer ("The Joy of Cooking"), Elizabeth David, M.F.K.Fisher...atravessando tempos e estilos, nas visitas à Isabel Allende, em Afrodite...e curiosando em blogs e sites, livros novos, revistas...Nas viagens pelas fontes de estudo, encontro receitas, porquês, Geografia e História, e por aí vai... E eis que, num destes 'passeios', surge uma bela explicação sobre o nosso assunto do post anterior: a 'Bruschetta'. 

" A Bruschetta
Esta saborosa iguaria italiana,
pouco conhecida no Brasil, saboreada em todo território italiano, nas mais diversas formas, tem sua origem na antigüidade entre os trabalhadores rurais, quando o pão era seu principal alimento e se constitui numa forma gostosa de se aproveitar o "pão velho", que sobra de um dia para outro.
Bruschetta

      O termo Bruschetta (pronuncia-se brusqueta) é originário das regiões do Lazio e de Abruzzo, derivada da palavra "bruscato" que significa tostado ou torrado, quer seja no forno ou na grelha. Há também outros nomes para bruschetta, como "Fetunta", na região da Toscana, aí derivado das palavras "fetta unta", isto é, fatia untada, no caso, com azeite de oliva.     A clássica bruschetta é feita com uma fatia de pão italiano rústico, de farinha escura e grossa, de casca dura, tostada na grelha, esfregada com alho, untada com abundante azeite e polvilhada com sal e eventualmente com pimenta-do-reino.
     Há, porém, incontáveis variações para se preparar uma boa bruschetta. Na Toscana, o pão local, feito sem sal é guarnecido com "fagioli al fiasco", ou seja, feijão branco cozido com ervas e alho ou então, com "cavolo nero", couve picado bem fininho e aferventado em água e sal.

     Como os pães italianos são diversificados, variando de região para região, a brsuchetta possui sabor e aparência com características distintamente regionais. Na Puglia e na Campania, por exemplo, é feita com um pão crocante, chamado "frisella" ou "frisedda". Na Calábria, Sicília e Basilicata, a bruschetta é feita com um pão comprido de semolina e sementes de gergelim, guarnecido com tomates, azeite e orégano.
     Embora certas guarnições seriam mais adequadas para determinados tipos de pães, pode-se garantir uma boa bruschetta, somente com um bom pão e um azeite de oliva de boa qualidade. A pimenta-do-reino moída na hora, também dá um sabor especial. Ainda, prefira tostar o pão na grelha, a torrá-lo no forno. Ele fica macio por dentro e com uma casca crocante externamente. Se usar queijo e quiser derretê-lo, coloque as bruschettas em forno alto, por alguns minutos, isto impedirá que o pão endureça.
    Pode-se até organizar uma festa, somente com bruschettas, utilizando-se quatro a cinco tipos diferentes, com sabores e cores distintas, acompanhadas, é claro, de um bom vinho.(...)"


Pelo que vi e soube, a versão francesa da Bruschetta é a Tartine, também com horizontes interessantíssimos a explorar...Encontrei dois sites franceses com boas dicas: Recettes de Tartines e monmenu.fr! E muito curioso fato: foi ao ganhar de presente um livro sobre quitutes franceses com pão, o "Croques et tartines", de Maya Barakat-Nuq, que despertei para essas entradinhas, vendo possibilidades bárbaras neste campo! O livro é pequenino, mais-que-de-bolso, e tem ideias que desmancham na boca...A partir dele, comecei a desvendar caminhos para reuniões festivas com aperitivos leves...fui tendo ideias...e ampliei a pesquisa, abrindo livros e cadernos em casa. Em cada um, novas receitas, origens, aqui-e-acolás, temperos, saborices...

Por hoje, deixo os links para pesquisa. No labirinto de leituras sobre o tema dos aperitivos, cada desvio é uma descoberta!

Com carinho,
Betina

Preparando ideias de Bruschetta: diversão garantida!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina