sábado, 23 de março de 2013

Acepipes da Roma Antiga...

Enquanto preparo a postagem sobre a importância da Felicidade para a saúde, venho ao blog seguir nossa prosa sobre a História do 'comer', em vários tempos e lugares.
Partilho algumas passagens do livro 'Recetas con Historia', de Ángeles Días Simón.

Depois de falar na 'Olivarum Conditurae' e no 'Mulsum', da Roma Antiga, vi, neste livro, alguns acepipes e doçuras que podem entrar, facilmente, em nossos cadernos de receitas atuais. Basta manter a despensa com boa provisão de ingredientes, colocar o avental e instrumentar-se com boa imaginação e prática.

Uma das iguarias que mais chamou minha atenção: os 'Bucellatum', biscoitos salgados de azeitonas negras. Elaborados sobre as brasas, eram acompanhados de lentilha e cebolas, e servidos aos soldados romanos. São biscoitos imponentes, fartos, que despertam a curiosidade e o apetite necessários para darmos início aos aperitivos ('Gustatio', na Roma Antiga),  minha etapa favorita nas refeições de final de semana.

Bucellatum

Ingredientes

2 xícaras de farinha de trigo integral
2 colherinhas de azeite de oliva
Algumas azeitonas negras, sal, orégano, tomilho e um pouco de gergelim
Água morna, o necessário.

Elaboração:

Colocamos em uma tigela  a farinha, o sal, o azeite, o orégano e o tomilho. Vamos colocando, pouco a pouco, a água morna, amassando todos os ingredientes até formar uma massa homogênea que desgrude das mãos. Se for necessário, acrescentamos um pouco mais de farinha. Uma vez que se forme uma bola, incorporamos as azeitonas negras em pedacinhos e amassamos de novo. Abrimos a massa em uma superfície com farinha, e fazemos os biscoitos usando um copo. Por cima, espalhamos o gergelim.
Pré-aquecemos o forno a 250ºC, colocamos os biscoitos em uma forma durante 10 a 15 minutos, aproximadamente, até que estejam dourados. Saem umas 20 a 30 unidades do tamanho das bolachas 'Maria'.

Pode-se colocar levedura; neste caso, deixamos a massa repousar por meia hora antes de fazer os biscoitos que, com este ingrediente, ficam mais esponjosos.

Uma delícia para saborear com o Tapenade, por exemplo, ou com o 'Moretum', uma pastinha de queijo, atribuída a um poema de Virgílio.

Moretum

Ingredientes:

2 dentes de alho
Algumas folhas verdes de aipo
Coentro, cominho, sal e qualquer erva a gosto
Azeite de oliva virgem, vinagre e vinho
250g de queijo de cabra ralado ou despedaçado.

Elaboração:

Feito com um bom pilão, imprescindível na cozinha romana.

Trabalhamos o alho com o sal, acrescentando as folhas de aipo e as ervas. Amassamos bem. Incorporamos o queijo, acrescentando pouco a pouco umas colheradas de azeite, vinagre e vinho. Deixamos o conjunto repousar de um dia para outro. O resultado é uma pasta dura e untuosa, ideal para acompanhar os 'Bucellatum'.

Ambas as receitas foram extraídas do livro referido acima, 'Recetas con Historia', fantástico pela linguagem apetitosa, rico em relatos históricos sobre a cozinha de diversas épocas. Fiz uma tradução livre, mas indico a obra para as estantes de livros gastronômicos dos lares de quem gosta de botar a 'mão na massa'!!!

E um livro que não pode faltar, para quem tem prazer na leitura de aspectos históricos do comer, é o História da Alimentação, organizado por Jean Louis Flandrin e Massimo Montanari. Referência obrigatória na biblioteca de cozinha de quem deleita-se com os 'porquês' de nossas raízes gastronômicas. 

Escolhi receitinhas, hoje, que sejam fáceis e rápidas para um bom aperitivo de sábado e domingo...Há outros quitutes para registrar aqui no blog, algumas doçuras inusitadas, umas xícaras e colheres de história e cultura...

Bom Proveito!

Abraços,
Betina








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina