domingo, 3 de março de 2013

A Aventura dos Scones!!!


Pois ontem vivi uma experiência mágica na cozinha. Curiosava há dias uma das minhas revistas favoritas, a El Gourmet, na edição de agosto de 2011, deliciando-me com a matéria sobre o chef pâtissier Argentino Oswaldo Gross, como relatei na postagem anterior.
Queria fazer algo especial para o lanche da tarde, para esperar as crianças, que viriam pelas 18hs...Escolhi a receita de Scones clássicos, dada pelo Sr. Gross. Na fotografia, pareciam tão apetitosos, tão macios os bolinhos, que senti vontade de tentar. O desafio? Seguir as medidas à risca, algo que defendo, mas que me esforço para cumprir...(risos...).

Segui a receita...400g de Farinha de Trigo, 60g de Açúcar e 20g de Fermento em Pó (químico), processados com 120g de manteiga fria, cortada em cubinhos, até conseguir uma textura granulada. 
Em separado, numa vasilha, uni 50g de Iogurte Natural, 150g de Creme de Leite (usei a Nata tipo light) e 1 ovo, misturando-os sem bater, até atingir uma textura homogênea. Então, uni as duas preparações e trabalhei a massa manualmente, sem amassar muito. Precisei de um pouco mais de farinha, além do indicado, até que a massa soltasse das mãos. 
Com o rolo, estirei a massa a 2cm e dobrei-a sobre si mesma. Estirei-a mais uma vez, até que tivesse 3cm de espessura. Fui ao extremo desta vez: medi com a nossa régua de cozinha! 
Cortei os bolinhos não com o cortador de 6cm de diâmetro, como ele indica, mas com o cortador em forma de coração. Não resisti!!!

Untei a forma com manteiga, coloquei os corações ali e pincelei cada um com a gema levemente diluida em água, como costumo fazer. 
Com o forno pré-aquecido a 180ºC, assei os scones por 20 minutos. (Na receita, está indicada esta temperatura para um tempo de 15 a 18 minutos.)

Alguns pontos fizeram parte da mágica: a atmosfera do final de tarde... a chegada das crianças durante o preparo... a ajuda do meu sobrinho de 5 anos, que fez questão de abrir a massa, cortar os corações e pincelá-los com a gema, sob minha atenta- e corujíssima- supervisão...o encanto por preparar uma receita totalmente nova para mim e de ter acertado a mão (terá sido a conhecida Sorte de Principiante?)

 Bom, já tinha visto algumas vezes os 'Scones' em livros de receitas, mas, sabe-se lá por quê, nunca tinha me interessado em testá-los.

A bem da verdade, adorei conhecer a maciez destes bolinhos, que têm uma textura fofa, de um bolo farelento, delicioso de morder! Li que esta característica é dada pela manteiga fria, quando adicionada ao conjunto. 

Surpreender-me com esta riqueza, que pode incorporar vários ingredientes para as próximas adaptações, provocou  em mim aquela alegria de criança, com um brinquedo novo em mãos. Claro, partilhar o preparo com meu sobrinho, que descobria no novo 'brinquedo' uma grande diversão, fez uma diferença e tanto na faceirice. Isto com certeza, pois foi incrível observar sua compenetração e prazer nas tarefas que se propôs a realizar.

Senti o fascínio pela descoberta de um quitute, a ser explorado em mil invenções futuras. Descoberta que nasceu de arriscar um caminho em branco, até aquele momento. Coisa que, já contei lá e acolá, eu adoro!

E, como diz o clássico Gourmand  Jean Anthelme Brillat-Savarin...


Obrigada pela visita, e bom proveito!!!
Abraços,
Betina Mariante Cardoso



2 comentários:

  1. parece muito bom... vou copiar a receita... bjs Cris

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Cristina!! Gracias pelo comentário!!

      Ficaram uma delícia, sim! Com um belo café, à tardinha, são uma bela pedida!!

      Beijos, Betina

      Excluir

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina