domingo, 24 de fevereiro de 2013

Seguindo à risca....

Quanta farinha para peneirar.....! :)


Pois conversamos, ontem, sobre a orientação de  Dona Irma de seguirmos à risca as medidas da farinha, para chegarmos à excelência nos bolos...Sacudir o pacote antes da pesagem, passar o ingrediente para o copo da balança com uma colher, peneirar e peneirar, nivelar com a faca...Tantos detalhes para garantir o resultado.

E a receita funciona se fizermos sem estes firuletes? Funciona, para todos nós. Se deixarmos de cumprir as diretrizes, teremos um bolo talvez com esta ou aquela falha, ou quem sabe sem nenhum problema; no entanto, perderemos uma das mais ricas  aprendizagens que a cozinha oportuniza: a exatidão.

Saber que uma xícara de farinha não peneirada pesa  141g -e a mesma medida da peneirada pesa 113g- faz uma diferença e tanto, e não só para o bolo. Faz diferença para nossa capacidade de estarmos focados em seu preparo, também. A meu ver, a relevância da exatidão está no foco que ela demanda, na atenção dirigida ao propósito, sem as distrações que tantas vezes encontramos nos pensamentos cá e lá.

 Se soubermos que o 'como-se-faz' diz para sacudir o pacote, peneirar a farinha, tudo e mais um pouco, isto poderá acrescentar beleza e sucesso ao nosso bolo, com toda certeza...Agora, para mim, o ganho maior existe na vivência que temos quando estamos inteiros na tarefa, mente e corpo plenos na execução da receita. Em quantas ocasiões estamos misturando ingredientes e nossa cuca está loooonge dali? É esta a força que a exatidão proporciona: frente à ordem de seguirmos as quantidades precisas, devemos estar de todo atentos ao passo-a-passo, na disciplina de aquietar a mente naquele momento.
O sabor do fazer torna-se outro!

Se estivermos pensando em outra coisa, faremos a doçura estabanados, faremos por fazer. E, com isso, perderemos a vivência única do instante em que a balança marca exatos 113g. De outro lado, no sucesso desta pesagem, no sucesso dos resultados, na delícia do bolo, estamos nós, em cada um dos gramas que compuseram a massa do bolo.

 E, ainda por cima, peneirar é mágico: a sombra clara e esfumaçada que a farinha solta, ao cair na vasilha, deixa a atmosfera sublime...

Além dos benefícios da disciplina e da precisão, temos um bonus: a auto-eficácia. Fazer bem feito, e saber que se faz bem feito (percepção de auto-eficácia), é uma oportunidade ímpar para o prazer e para a motivação.

Bom...Ao trabalho!
 Regule a balança, siga o 'modo de preparo' e bom proveito!

Abraço,
Betina Mariante Cardoso


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina