quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Um pedaço de bolo!!!

Fotografia por Évelyn Bisconsin, designer



Meu caderno de receitas...
 E meu caderno de receitas foi lançado na última segunda-feira, 17 de dezembro, como tantos sabem. O 'Pequeno Alfarrábio de Acepipes e Doçuras' nasceu mesmo como um caderno, foi concebido para servir à partilha com os leitores. Na cozinha ou na copa, proseando ou lendo receitas, trocamos histórias, emoções, lembranças, receitinhas de família, de outros pagos ou novinhas em folha.

E foi por isto que quis levar adiante o projeto, para dividir com amigos e leitores, e com pessoas significativas na minha vida, estas vivências...Dividi-las na forma como sinto a cozinha: na atmosfera de um caderno de receitas, mesmo, pleno de sabores, manchas, de pulsação. Nos textos, registros que trazem o 'como-se-faz' dos que atravessaram meus mapas, mas que também inspiram reflexões sobre papéis deste ou daquele ingrediente, deste ou daquele sabor ou modo-de-fazer.

O bolo de melado, para os convidados
Do meu caderno há uma mancheia de conversas para os próximos dias...Hoje há algo especial a contar. Da celebração-lançamento, agendada para começar às 10hs e encerrar-se às 20hs, muita gente querida participou, gente que é parte do projeto, das leituras do blog, da minha história, das minhas aventuras culinárias pelas épocas. A presença de cada um tocou-me de modo único, carimbando na memória o carinho  por compartilharem comigo a ocasião. Amigos importantes no trajeto, que não puderam estar presentes, torceram e vibraram, e estavam ali representados pelas memórias de que fazem parte.
Dentre os presentes, quero destacar uma cena que me emocionou. Referi, no post 'A Culinária: labirinto de experiências', que tinha conseguido convidar a Anilda para o lançamento (a personagem do texto 'Bhaskara no lanche da tarde'). Pois ela foi!! Chegou no Empório Mercatto em torno das 10 da manhã, munida do seu 'Bolo de Melado', para que eu o oferecesse aos convidados!!!  A cena foi inesquecível, pois trouxe a 'receita viva', pelo bolo, do afago, do aconchego e da alegria que a Anilda representa em minhas lembranças.

 A mesma felicidade com que ela oferecia o bolo e a limonada, ou chá, ou água, durante as aulas, acolhendo em sua casa as angústias matemáticas, veio naquela manhã: uma felicidade própria da Anilda, propiciando um sabor festivo aos meus convidados, no amarelo-risonho da receita. 

Quando provei o dito-cujo, 20 anos depois da experiência que deu origem ao texto, voltei no tempo. Foram segundos suspensos, silenciosos, em que aportei lá, na sala de jantar onde tinha as aulas, e senti o mesmo gosto antigo do bolo que acolheu minhas inquietudes naquela tarde de dezembro de 92. Estava reencontrando um personagem da minha história, e, mais legal ainda: este personagem foi desempenhar, novamente, um papel de alegria e afeto, num novo cenário. Um cenário de comemoração, de entusiasmo, de partilha, de alegria.

Tudo o que a Anilda traduz no seu jeito de ser!

Meu sincero agradecimento a essa Amiga e Profe querida, por fazer mágica, trazendo um pedaço de lembrança para participar da festa, gerando novas conversas!!

Abraço, 
Betina

E a Anilda!!!!



2 comentários:

  1. Parabéns para Anilda, que sabe tornar a vida mais festiva...que sabe acalentar e oferecer alegria aos q a rodeiam....e parabéns para ti, querida Betina, que fez por merecer a homenagem.
    Lamento profundamente não ter conseguido comparecer pelos motivos q já te expliquei.
    Estás radiante na foto!!!!
    Aliás, aquela foto em q apareces numa cozinha linda me sugeriu que poderia ser a foto do 2º livro ...pq isto não pode parar.
    Fatástico!!!! bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Beth! Obrigada!!! E já estamos avançando para um próximo livro...Aguarde! Beijos!

      Excluir

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina