sábado, 1 de dezembro de 2012

Os figos Cristalizados da Vó Léia e seus horizontes...



Boa tarde! 

Pois contei, na postagem anterior, do meu "Queijos e Vinhos de Verão", algo que adoro preparar para os amigos!
Com o início de dezembro,  nossa atenção volta-se para  os presentes, as celebrações, os  quitutes e saborices  especiais, os  'tim-tins'  clássicos do mês, e  vale usar a criatividade na composição das receitas que preparamos para os encontros de final de ano. Comentei no texto anterior: a ideia de um festejo diferente, que agregue leveza e partilha, permite criar vários acepipes originais, usando, inclusive, os ingredientes e as receitinhas próprios da estação.

Um dos sabores típicos desta época, para mim, é o dos figos cristalizados. Esta é outra das especialidades da Vó Léia, que era expert na confecão dessas delícias...Por muitos e muitos dezembros, a Vó produzia uma panelona de figos para depois vestí-los de açúcar e então embrulhá-los para presente. Lembro-me, ainda: no pacote, havia uma base de papelão, onde eles repousavam, com pose de aristocratas - belíssimos, por sinal; uma porção de papel celofane transparente envolvia-os com abundância, dando um ar viçoso ao conjunto...Por fim, um laço de fita vermelha completava o tom de festa das doçuras. Quantos destes pacotes eram feitos a cada Natal!!! Então, tenho nos figos cristalizados um registro vivo deste período do ano! E cheguei ao ponto: a proposta de usar   ingredientes e iguarias típicos da época em contextos inusitados, bem diversos das aplicações originais. Como assim?

Conhecemos aquela salada, já bastante difundida, de rúcula com Presunto de Parma e figos frescos, não é mesmo? Pois dia desses me ocorreu o seguinte: trocar a fruta em estado fresco pelo doce cristalizado, na mesma salada. Você pode perguntar, sussurrando:

-Será????????

Fiz a experiência, e adorei!!! Para mim, é um modo de darmos um toque natalino para uma receita contemporânea, e digo mais. É uma ótima saladinha para o "Queijos e Vinhos de Verão": integra o Presunto de Parma como elemento dos 'Queijos e Vinhos', o figo cristalizado como elemento típico das festas de fim de ano e a rúcula fazendo o papel do ingrediente refrescante e saudável de verão. Deste modo, apresentamos aos nossos convidados um conjunto harmônico, que contempla os diversos significados deste formato de celebração.

Gostei muito de arriscar o uso dos figos cristalizados, aproveitando seu contraste entre a crocância por fora e a maciez por dentro, sua doçura soberana e sua elegância clássica,  cortados em fatias finas e misturados às tiras do Presunto e às folhas da rúcula. Sim! Entretanto, o que mais me agrada na ideia é trazer uma iguaria típica do Natal, ao menos em minha família, para outro cenário, em que esta se torna novidade e quebra a rotina de sabores a que vamos nos acostumando. 

No centro do prazer desta invenção culinária está o território livre para 'brincar', representado pela cozinha.

E então: mãos à obra???

Um ótimo sábado, para começar dezembro!

Abraço,
Betina Mariante Cardoso 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina