quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Contando, pouco a pouco!!!

Bom, venho contando, aos poucos, de como surgiu o livro, dos caminhos paralelos durante sua gestação, das descobertas e bagunças felizes que  a escrita de cozinha vem trazendo à minha vida. Tudo começou porque desejava compartilhar, com os amigos, minhas inventices culinárias, aquelas receitas que fazia para as festas, jantares, despedidas de equipe durante a Faculdade, encontros do período de residência, sem contar as peripécias que fazia na escola, como a que conto em 'Novas Façanhas da Nega Maluca"...

Há alguns meses, uma amiga e colega de vida escolar lembrou dos chocolates que eu levava para 'vender' no recreio, lá pela sexta série! Ela referiu que aguardava, ansiosa, a chegada do intervalo, quando seria possível  comprar este ou aquele. Lembro até hoje do cheirinho do pote dos chocolates, mas não contava com um depoimento feito este, que muito me lisonjeou! E felicíssima fiquei com a lembrança de uma colega dos tempos do Hospital, perguntando se no livro estaria a receita da minha Nega Maluca, bolo que levei em uma celebração de final de estágio, durante a graduação. 

Cozinhar, perceber sabores, sentir o prazer de um gosto: tudo isto sempre foi um alinhavo entre uma época e outra de minha história. 

Assim, os escritos surgiram porque eu desejava partilhar minhas receitinhas, traduzir minhas vivências em crônicas de cozinha que nos tornassem comensais. Desejava falar do simbolismo dos tomates, para mim, no texto sobre a 'Chimia de tomates', ou revisitar a profunda descoberta sobre o Manjericão, em 'Manjericando', e tantos outros horizontes. Entretanto, um livro apenas com meus textos não me era suficiente, não era bem o que eu tinha imaginado. Como fiz, inicialmente, para realizar uma partilha com amigos, imaginei que o projeto pudesse contemplar o leitor em seus avanços de forno-e-fogão, suas memórias, seus registros do 'como-se-faz',  próprios ou de família. E tal como o meu caderno de receitas é essencial no meu caminho, desejei que o leitor tivesse também o seu, e veio a ideia de fazer um livro que tivesse cara de caderno, com espiral e tudo! Há muito mais de caderno no trabalho desenvolvido, mas não vou estragar a surpresa dos leitores contando o que há. Em seguidinha estaremos com ele em mãos!!!


Pedi à Évelyn Bisconsin, designer que criou o projeto gráfico do livro, traduzindo minhas mirabolantes ideias em imagens, que escrevesse um texto para o Blog. Convidei-a  para  que contasse de seu processo de criação na elaboração do 'Pequeno Alfarrábio de Acepipes e Doçuras". Considerei fundamental que ela pudesse falar do que sentiu, de como vivenciou, das mudanças de planos ao longo da trajetória...Enfim,  do que imaginou para este projeto. Em janeiro, o texto chega!

Abri o campo da expectativa, a partir dos leitores do blog: o livro, que foi pensado para destinar-se aos amigos com quem vivenciei sabores, então seria destinado também aos novos amigos, comensais na leitura dos textos de cozinha, partícipes do sentimento culinário. Abria-se o leque.

E por falar em sentimento... Há o papel da subjetividade na cozinha, o que esta nos faz sentir, o que aprendemos com ela, quem somos dentro de seu espaço-tempo. Por que cozinhamos?  Que atributos adquirimos com a vida culinária? Foi pensando nestas questões que escrevi boa parte das crônicas do livro e deste blog. 

Construir um projeto é uma tarefa longa, plena de idas e vindas, mudanças de rota. Não se pode ter pressa. Há que esperar cada tempo amadurecer. Assim como preciso que o pão descanse trinta minutos a uma hora, para  que seu tamanho dobre e eu então possa levá-lo ao forno, também preciso esperar que as etapas de um projeto se completem, naturalmente: nada tenho a fazer senão seguir obstinada em meus objetivos,  desejando que cada ciclo cumpra sua parte. Aprendi, com a cozinha, a ter a paciência necessária com o percorrer espontâneo de um caminho, no ritmo da maturação. Sem correrias.


Então, no livro, compartilho minhas histórias, receitas e reflexões, deixando o espaço para que o leitor comece, ali, os seus registros....!!!

Bem-vindos!
Abraço,
Betina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina