quarta-feira, 4 de julho de 2012

Os horizontes da 'Folha de Mussarela'!



Então, eis a Folha de Mussarela de que eu falei quando contei da Luminara di San Ranieri. Hoje, temos em Porto Alegre alguns lugares onde é vendida a 'folha', o que muito me alegra! Acontece que a idéia chegou aqui lá por 2006, e eu estava louca para partilhar o quitute nas celebrações, depois de tanto falar na novidade entre a família e os amigos.

O que mais me agrada nesta iguaria é o horizonte infinito de criações possíveis. Na foto, há dois tipos: rúcula e salmão defumado, naquelas posicionadas na borda, e tomate fresco com manjericão, nas porções mais ao centro. 

Bom, é uma ótima pedida num dia como hoje, em que o inverno dá uma folguinha e o calor toma conta da tarde. Abro a folha, com cuidado, colocando sobre ela o azeite de oliva, e espalhando-o com o dorso de uma colher de sopa. Disponho as fatias finas de salmão defumado, pimenta do reino, e cubro todo o território da mussarela; por cima, solto as folhas de rúcula. Mais uma vez o azeite de oliva, ao acaso. Deixo uma borda livre, para fechar o rocambole. Inicio o movimento de enrolar a peça, com as duas mãos. Enrolo, colo a borda livre e tenciono o rolo com as duas mãos, sem apertar. Deixo-o enrolado em um guardanapo de pano por algumas horas (ou por uns 30 minutos, dependendo do tempo disponível antes de as visitas chegarem), para que o conjunto fique firme. Na hora de servir, corto em fatias de 1cm, aproximadamente.

Estes são dois exemplos, apenas. Os recheios são inúmeros, permitindo que a folha seja apresentada em um Café da Tarde, num Happy Hour, ou como entrada num jantar, em dias mais agradáveis. No inverno, pode-se aquecê-la no forno, que o queijo fique quentinho e levemente derretido. Doce ou salgado, fresquinho ou aquecido, este acepipe é fácil, criativo e colorido para oferecer. Sempre que preparo meu 'queijos e vinhos de verão', incluo a idéia no cardápio. No frio, as invenções são diversas e cheias de entusiasmo: basta  acender a lareira, convidar os amigos, botar a mesa e...criar!

Harmonização: alegria e boa prosa!

Bom Apetite...

Betina Mariante Cardoso

2 comentários:

  1. Betina, eu lembro quando eu comi a "folha" pela primeira vez: foi o rocambole que vc fez para a Luminara... boa lembrança. Lindo post.
    Bjs Cristina De Vincenzo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cristina! Que bárbaro receber tua visita, neste comentário sobre a 'Folha'! Quando escrevi o post, lembrei exatamente da janta que fizemos, que foi minha 'estréia' com o rocambole. Lembro que vocês levaram aqueles pães redondos muito saborosos, e a Valéria e o Daniel levaram a Impignolata. Ainda tens a receita dos teus pães?
    Gosto muitíssimo da interação que se faz entre os textos e os comentários, pela lembrança dos sabores e das ocasiões, das vivências e convivências! Muito obrigada por participar!

    Bjs,
    Betina

    ResponderExcluir

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina