sábado, 26 de maio de 2012

Da bagunça feliz

Na 'minha sala de jantar' da Suite Casanova,
no Relais dell´Ussero,
Pisa. Tarde de preparos da Luminara



Preparando o quitute-conversa sobre a Luminara de Pisa...

Para criar, preciso de uma certa bagunça feliz no ambiente.

E preciso de:
Um caos que abra minhas janelas, que me permita saltar no vazio e misturar elementos inusitados numa receita. Uma atmosfera de pátio de jardim de infância, uma brincadeira viva, plena de desalinhos, que garanta que estou em processo de criação. Um território de liberdade, e um sem-fim de horizontes culinários em cada desordem. Meus cinco sentidos pulsando no preparo. Uma energia cinética divertida, que provoque vento por onde eu passe. Um espírito lúdico e desimportado.

Modo de fazer?
Como sempre, misturar todos os ingredientes.
Aderir ao tempo próprio do brinquedo, usufruir enquanto mexe.

Quando estiver pronto, invente o resto.

E bagunçe, bagunçe com vigor!

Bom Apetite!

Betina Mariante Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina