terça-feira, 10 de abril de 2012

Na Feirinha Ecológica II

Bem...O segundo motivo de apresentar o ceviche de frutas como "da feira" se deve à importância da identidade do conjunto. Melhor dizendo, a identidade da feira ecológica, com os produtos orgânicos, frescos, viçosos, abundantes. Alguns corriqueiros, como o aipim, outros exóticos como o já referido Tomate Andino, mas todos pulsantes de vida. Esta marca da feira é transmitida à receita, que leva os produtos encontrados lá. E isto faz toda a diferença! Quando damos um nome, entregamos personalidade à invenção. Assim, validamos de uma força anímica os Figos, os Cogumelos Shitake, os Hibiscos, os Physalis, os Tomates Andinos, as Maçãs, as metades de limão espremidas para receber os ingredientes, as folhas de Manjericão fresco ao final. Todos estes, da feira, compõem um conjunto harmônico, têm uma identidade em comum. Então além de o nome dar uma identidade, ele unifica o conjunto. (Coisas demais para um simples nome de receita? Há ainda muito a pensar neste tema...)
Existe um outro ponto: minhas memórias (ou as suas). No momento em que leio no meu caderno "Ceviche da Feira", este registro vai me reportar à manhã ensolarada, à belíssima experiência do motivo 1, curiosidade e risco, aos sabores que experimentei, aos aromas, às cores, às vozes que transitavam entre uma banca e outra, à sensação única daquela alegria infantil de descoberta, tanto de ingredientes novos como de partes de mim que desconhecia, ou que não vivenciava havia muito tempo. Tudo isto, como os produtos que usei na receita, são "da feira", estão decodificados em meus registros e representam a memória que fixei daquele sábado de manhã. Assim, sabores e vivências de um acontecimento fazem parte do mesmo processo, e se alimentam reciprocamente. Isto é muito rico na culinária, como exemplo entre tantos outros. Vale pensar que este conjunto de sabores e vivências de uma situação particular, ao receber uma identidade através do nome, passa a ter um significado vivo em nós, e um significado pleno de nós. Vivemos o momento, sentimos suas marcas através dos cinco sentidos, e tudo isto está carimbado em nosso caderno de receitas quando escrevemos o título da invenção.

No post de  amanhã, a receita...

Betina Mariante Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina